quarta-feira, 17 de abril de 2013

As relações

Quando se sofre um acidente como meu as relações mudam muito. Mas podem acreditar o que mais nos incomoda é a de sermos tratados como crianças ou como alienígenas ... rs. Portanto tentem agir naturalmente.
Sabe, no início tudo é muito louco e muita gente e nem você acredita no que aconteceu! Minha casa vivia repleta de gente e como sempre fui muito popular tinha gente de todo tipo, uma diversidade só! Parecia até o programa da Regina Casé!
O tempo passa e por ele e com ele as pessoas somem, as prioridades mudam, as relações mudam, sentimentos também e ai como nossa vida enquanto deficiente requer uma demanda enorme de coisas e afazeres, naturalmente o afastamento ocorre.
Eu não me aborreço com isso, não pensem nisso como uma reclamação por favor!
Mas acabamos por descobrir quem são e o que são as pessoas em nossas vidas ... sem menosprezar ninguém e nem ignorar o que passam na vida ... ela é cíclica!
Olha, eu continuo tendo muitos amigos, perdi alguns e ganhei novos e muitos ... amores ... perdi, ganhei, perdi novamente e a vida segue.

Muitas questões são levantadas a respeito das relações com deficientes, principalmente as sexuais. Mas vamos devagar né? rs ... Eu fico imaginando mil coisas ... viajo! Vamos por parte.
A família tende a te proteger como um bebê e se puder a redoma de vidro é montada, normal ... proteção total! Paciência e muuuuuuuuuuiiiiiito amor pra lidar com isso. Já os amigos, bom ... a maioria totalmente desencanada, mas na hora de te chamar pra sair, viajar e afins ... hum ... será que dá? será que pode? tem lugar? e a cadeira? Ah ... a danada da cadeira, vira um ocupante! E ai? 
Se o seu desejo maior é de estar com essa pessoa (ou outra) que hoje se encontra em uma cadeira de rodas ou tenha outra limitação, pergunte a ela se ela se quer ir, me pergunte! Sei do que preciso, do que posso e o que quero desbravar e jamais me colocarei em risco! Com um pouquinho de boa vontade e amor tudo da certo e por minha conta diversão garantida! É só chamar que eu vou, como canta lindamente Pedro Mariano.
Bom, quanto ao amor ... é verdade! Podemos TUDO! Nesses três anos vivi de tudo, me permiti ... afinal to vivinha da Silva! Um amor que se foi, um antigo que chegou e também se foi e uma nova paixão que também se foi ... digo que de minha parte tudo foi vivido de maneira verdadeira e muito intensa, sou assim. 
Agora deixo uma pergunta no ar: Todos se foram? Como pode ser essa relação? Você se deixaria levar por uma paixão assim? Se apaixonaria por um/uma cadeirante?
Informação demais né? Eu volto contando alguns detalhes sórdidos e esclarecendo algumas dúvidas e dando algumas instruções pra não pagar mico né? Perguntem a vontade!! Se eu souber ... aguardem relações parte 2. Beijos ...





4 comentários:

  1. Quero instruções tim tim por tim...tim ....beijo meu amor,é verdade tudo mudar e acredito o nosso corpo passa a ter caminhos que nem imaginávamos,isso é bom demais..

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. E como né! Deixa comigo ... conto depois aguarde rs

      Excluir
  2. é verdade Flavia, tudão muda..e para nós que estamos em tempo integral junto a um cadeirante, tb muda, os amigos somem, os que eram antigos se reaproximam, os atuais somem, e assim vão surgindo novos tb. Pois como vc disse eles tb se perguntam, convido ou não? ela vai poder levar o irmão? e será que dá para eles virem? Mas tudo passa, a gente se acostuma com o que é ruim infelizmente e vibra com o que é novo....sejamos forte para enfrentarmos as diversidades da vida...sempre com fé...que vai...a vida é isso amiga...força, amo seu blog.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada e fé sempre! Mas ... quem é vc? Unknown? bj

      Excluir